10
dezembro

Google cria colher para ajudar pacientes com Parkinson a comer

Um ato que para todos é quase automático, para pessoas com Parkinson pode ser um desafio, de alimentar sozinho com talheres. Os tremores que não são controlados, causados por esta doença, além de derrubar a comida causa muito constrangimento para estas pessoas em restaurantes e no trabalho.

Shirin Vala, 65, usa a colher “liftware spoon”, desenvolvida pelo Google, em sua casa. O acessório ajuda pessoas com tremores a evitarem derrubar a comida

O Google apresentou nesta terça-feira (25) uma colher tecnológica. O acessório, segundo a empresa, usa uma série de algoritmos e permite que pessoas com mal de Parkinson ou com tremores possam comer sem derrubar o alimento.

A colher “liftware spoon” conta com uma tecnologia que estabiliza o acessório quando a mão da pessoa está tremendo. De acordo com o Google, o uso do dispositivo reduziu em 76% a queda de alimentos em testes próprios

“Nós queremos ajudar as pessoas em suas vidas diárias e, em longo prazo, aumentar a compreensão sobre esse tipo de enfermidade”, disse Katelin Jabbari, porta-voz do Google, à agência de notícias AP.

A doutora Jill Ostrem, neurologista norte-americana e que ajudou no desenvolvimento do aparelho, disse que a colher é um dispositivo sem precedentes. “Tenho pacientes que não conseguiam comer de forma independente. Agora, elas conseguem comer por conta própria”, afirmou Jim. “Isso não cura a doença, pois o tremor continua. No entanto, é uma mudança positiva.”

A Lift Lab, empresa que desenvolveu a colher, foi comprada pelo Google em setembro deste ano. A aquisição faz parte da entrada da empresa nos ramos de biotecnologia e hardwares relacionados à saúde.

Mais de dez milhões de pessoas no mundo sofrem com tremores ou mal de Parkinson — inclusive a mãe de Sergey Brin, um dos fundadores do Google. Apesar da relação, Brin disse que a aquisição não teve relação direta com a doença de sua mãe e que recentemente doou US$ 50 milhões para pesquisas relacionadas a esse tipo de enfermidade.

No site da Lift Lab (em inglês), o aparelho é vendido por US$ 295.


Fonte: Uol Tecnologia

Publicado em TECNOLOGIA, YOUTUBE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado