21
novembro

Policiais envolvidos em agressão de torcedora em Curitiba são afastados

Policiais militares do Bope (Batalhão de Operação Policiais Especiais) do Paraná que foram filmados agredindo uma torcedora em Curitiba, no fim de semana, foram afastados dos trabalhos nas ruas nesta quarta-feira (21).

O Comando da Polícia Militar informou que agora eles devem cumprir apenas serviços administrativos até o fim das investigações, que durarão 30 dias. A PM não confirmou o nome dos policiais envolvidos.

 

Segundo a PM, toda a equipe que participou da escolta no dia da agressão também foi afastada dos serviços operacionais. A assessoria não soube confirmar a quantidade de policiais.

Entenda o caso

A estudante Ana Paula de Lima, 18, foi abordada de maneira violenta por dois oficiais enquanto participava da “caminhada pela paz”, promovida pelos torcedores do Coritiba, no último sábado (17), antes da partida contra o Vasco.

A agressão foi gravada por uma amiga e Ana Paula afirma ter o áudio da conversa com os policiais também gravado no celular.

A torcedora fez exame de corpo de delito na segunda-feira (19) para comprovar as agressões. Segundo Ana Paula, a violência começou depois que ela resolveu filmar a abordagem da PM aos torcedores que participavam da caminhada.
Nota oficial

Na segunda-feira (19), o Comando da Polícia Militar se manifestou sobre o caso através de nota oficial:

O vídeo já chegou ao conhecimento do Comando do Batalhão de Operações Especiais (Bope), o qual está determinou a abertura de um procedimento administrativo para apurar o que realmente houve. E caso fique comprovado que os policiais agiram irregularmente, eles serão punidos conforme prevê a Lei.

O Comando do Bope também esclarece que não compactua com nenhum tipo de atitude que vá de encontro a todo e qualquer direito dos cidadãos, mas por “estarmos em um estado democrático de direito, e respeitando os dispositivos constitucionais, os policiais têm direito a ampla defesa e ao contraditório”.

O Comando do Bope reitera que tem sido enfático em relação aos direitos dos cidadãos, mas somente será sabido o que realmente aconteceu ao término do procedimento instaurado. Informações do site uol

Publicado em NOTÍCIAS, REPORTAGEM por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado