22
novembro

Dica de Leitura: Eu, você e os outros

Se você está disposto a ser o primeiro a quebrar o ciclo de violência e intolerância e se tornar uma pessoa melhor, para ajudar os outros e a si mesmo, este livro é uma leitura obrigatória.

Como disse o músico e poeta Tom Jobim: “É impossível ser feliz sozinho.” Para que a nossa felicidade seja cada vez maior, temos que ajudar os outros a serem felizes também. Bem-vindos à Era da Mútua Ajuda.

Mas, atenção, isso não significa que temos que abrir mão de nós mesmos. Pense num avião: qual é a orientação da equipe de bordo em caso de despressurização da cabine? Primeiro ponha a máscara de oxigênio em você, para depois ajudar os outros.

Neste livro, Fernando Bond nos convida a empreender uma viagem de autoanálise e autoconhecimento. A primeira pergunta que ele nos desafia a responder é: tenho feito tudo o que posso para melhorar e ser mais feliz?

Muitas pessoas só conseguem dar uma guinada em suas vidas depois de terem chegado ao fundo do poço. No entanto, há remédios menos amargos: basta se livrar das armadilhas do ego, deixar de lado a máxima “Mas eu sou assim!” e aceitar as mudanças positivas.

Com uma linguagem leve e direta, Eu, você e os outros vai lhe mostrar um caminho para se tornar uma pessoa melhor, capaz de amar de verdade.

****

Todos temos o maior dom do Universo: o livre-arbítrio. Porém, às vezes o utilizamos contra nós mesmos e caímos nas armadilhas do ego e da personalidade. Quando isso acontece, nos tornamos infelizes e incapazes de ajudar o próximo. Em Eu, você e os outros, Fernando Bond mostra que é possível virar o jogo. Basta usar o livre-arbítrio para nos tornarmos pessoas melhores e mais felizes.

Para nos ajudar nessa jornada, ele propõe 15 Pausas para pensar. Em cada uma delas, você deve refletir sobre algumas questões e anotar suas conclusões, ajudando assim a escrever este livro. Olhe-se no espelho. Você é o que sonhava ser? O próximo passo é aprender a per doar a si mesmo, reconhecer seus erros e não repeti-los. Somente depois disso será capaz de pedir perdão e, o mais importante, perdoar os outros.

Uma das maiores dificuldades dos tempos modernos é romper o ciclo de intolerância e violência. Para fazer isso, você deve entender que, assim como o corpo precisa de bons alimentos e exercícios, a alma também tem que se nutrir com ideias e sentimentos positivos.

É preciso fazer uma Dieta espiritual, alimentando a alma com virtudes como confiança, bom humor, otimismo e grandes doses de humildade, caridade e esperança. Uma vez que começamos a inserir esses alimentos do bem em nosso dia a dia, eles vão se unindo a outros e acabam por nos colocar de volta na Estrada do Progresso. Somente assim chegaremos ao amor verdadeiro e teremos sabedoria para em pregar nossa energia no que é realmente importante: ajudar o próximo e, dessa forma, encontrar o caminho da nossa própria felicidade.

Publicado em DICA DE LEITURA por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado