1
agosto

Psicopatas corporativos – Estima-se que existam 69 milhões de psicopatas no mundo.

(Saiba quem são os psicopatas de gravata) Especialistas revelam que psicopatas corporativos existem e são mais comuns do que se imagina. Aprenda a identificá-los e enfrentá-los

São Paulo – Estima-se que existam 69 milhões de psicopatas no mundo. Nem todos eles estão nos seriados de TV, em instituições de saúde ou escondidos em suas casas.
Alguns podem estar no seu escritório, dando ordens, ouvindo suas histórias pessoais ou espalhando boatos para os colegas durante a happy hour da firma. No trabalho, psicopatas são atraídos por dinheiro e poder, manipulam pessoas, causam medo, perseguem e prejudicam quem está ao seu redor.

Segundo o psicólogo nova-iorquino Paul Babiak, no Brasil, é quatro vezes mais comum encontrar psicopatas em ambientes corporativos do que na população em geral.
Segundo John Clarke, doutor em psicologia da as dicas!

O que faz um psicopata no trabalho?
A primeira característica do psicopata é a falta de consciência, o que o leva a cometer uma série de atos, como:
•

*-humilhar uma pessoa em público ou ser agressivo com ela;
•*-implicar com a pessoa, ridicularizar o trabalho dela, ou qualquer tipo de tortura psicológica;
•*-espalhar mentiras maliciosamente a respeito de um profissional para prejudicar sua reputação ou incentivar pessoas a fazer o mesmo;
•*-mudar rapidamente de comportamento para manipular as pessoas ou causar elevados níveis de medo;
*-encorajar colegas de trabalho a atormentar, perseguir, molestar e humilhar uma vítima;
•*-tratar pessoas de forma desigual, prejudicando subordinados e bajulando chefes e superiores;
*-pedir o cumprimento de tarefas inatingíveis a alguém ou invadir a privacidade dos outros, lendo seus e-mails, arquivos e correspondências para utilizar as informações no futuro como chantagem.

Como evitar se tornar uma vítima?
A melhor arma para se proteger é conhecer como ele pensa e age. Um psicopata costuma fingir que tem as mesmas fragilidades que a vítima para criar vínculos com ela. “Não importa se você é gerente, colega ou funcionário de um psicopata, você pode minimizar o risco de ser vítima ao desenvolver maior consciência das suas fragilidades e vulnerabilidades”, diz John. O psicopata também tenta isolar a vítima dos outros colegas.

Matéria completa “Aqui”

Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE, MENTE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado