17
março

Organize a sua bagagem emocional

Todos nós carregamos uma bagagem emocional ao longo da vida. E você já parou para organizar a sua? Essa arrumação pode trazer mais benefícios do que você imagina

Quando sua vida começa, você tem apenas uma pequena mala de mão, pequena e frágil. À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando, pois existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho porque pensa que são muito importantes. Algumas realmente são. Afinal, por que você carregaria uma mala se não pudesse colocar nada nela?

No entanto, em um certo ponto do caminho, você começa a sentir o peso insuportável da mala por carregar tantas coisas. Nesse momento, você pode escolher ficar sentado à beira do caminho esperando que alguém o ajude, mas saiba que isso será difícil, pois todos os que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Infelizmente, há pessoas que optam por ficar a vida inteira à espera de alguém que possa aliviá-las de seu peso – normalmente, elas também esperam que as pessoas com que se relacionam tenham o poder de fazê-las feliz, que as alivie desse peso, e por isso ficam esperando e esperando… Até que seus dias acabem. Mas você pode fazer uma escolha diferente: a de tomar a iniciativa e aliviar o peso dessa mala sozinho, esvaziando-a.

Mas afinal, o que deve ser deixado de lado? Comece tirando tudo para poder observar com clareza o que vem sendo carregado ao longo dos anos. É simples, como quando você tem de limpar sua bolsa ou pasta e derrama tudo sobre a mesa antes de começar a arrumação.

Então, veja o que tem nela, amor, amizade… Nossa, tomara que tenha bastante! Para algumas pessoas, pode ser que seja pouco e, se esse for o seu caso, anote, pois talvez isso esteja lhe fazendo falta. Nunca se esqueça de que amor e amizade são coisas muito leves, portanto, bem fáceis de carregar.

Continuando a limpeza, você provavelmente encontrará algo pesado. Fazendo força para puxar fora, você verá: é a raiva! Sim, ela pesa. E nesse momento você perceberá que há mais coisas com ela, como mágoas, ressentimentos e tristezas… Parece que todas estão entremeadas.

Nesse instante, o desânimo pode querer puxá-lo para dentro da mala. Afinal, à medida que vai retirando tudo isso, você volta em seus sonhos e recordações, decepções e frustrações. Mas, calma!

É só fazer um pouquinho de força que surgirá, do fundo da mala, um sorriso de criança, há muito tempo sufocado pelo peso de sua bagagem. Isso mesmo! As melhores recordações de sua vida, desde a mais tenra infância também estão escondidas nessa confusão emocional. Elas trazem junto de si a ternura e a inocência, dando aquela sensação de paz, harmonia e felicidade quando encontradas!

Agora é hora de procurar a paciência dentro da mala, pois você precisará muito dela na vida. Procure também força, esperança, coragem, fé, motivação, equilíbrio, responsabilidade, disciplina, tolerância e o bom e velho humor. Pode ter certeza de que está tudo lá: é só olhar com bastante atenção.

Por enquanto, coloque para fora a preocupação também. Deixe-a de lado e depois você entenderá o que fazer com ela. Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Agora, é hora de pensar bem no que será colocado lá dentro outra vez! A decisão é sua.

Perceba o valor de cada coisa, das boas e também das más, que fizeram parte de sua vida, mas que agora não cabem mais em sua mala. Liberte-se delas, descarte-as: chegou a hora, chegou o seu momento! Se você não souber como fazer isso, posso lhe dar uma dica: escreva tudo o que o magoou, que lhe trouxe ressentimento ou dor. Deixe tudo registrado.

Depois, procure algo importante dentro de sua mochila… Hum… Parece mais com um frasco… Ali está! Esse mesmo! É pequeno, mas muito, muito eficaz: o perdão. Pratique-o muito, não uma ou duas vezes, mas muitas; esse remédio irá acabar com toda mágoa, ressentimento e dor, e vai desvincular você de toda a raiva, vingança e injustiça, coisas que jamais devem fazer parte de sua bagagem.

Boa sorte, eu lhe desejo uma boa arrumação em sua vida!

Texto Dr. Paulo Valzacchi é biomédico e especialista em saúde emocional.

Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado