8
outubro

No RS, casal morre lado a lado depois de 65 anos de casados

Italvino Possa, 89, e Diva Alves de Oliveira Possa, 80, que foram casados há 65 anos e morreram com 40min de diferença

Na última sexta-feira (3), se encerrou em um quarto de hospital, em Porto Alegre, uma longa história de vida e união.

Casados havia 65 anos, Italvino Possa, 89, e Diva Alves de Oliveira Possa, 80, morreram lado a lado, com 40 minutos de diferença, em um quarto do Hospital São Lucas.

O aposentado Italvino foi vítima de leucemia. Apesar de ainda morar em casa, no bairro Jardim Itu Sabará, na zona norte da capital, ele frequentemente era hospitalizado para transfusões de sangue.

Nos últimos meses, acabava internado no mesmo quarto em que Diva se tratava de um câncer na bexiga.

A história do casal remonta ao ano de 1949, quando se casaram no interior gaúcho, na cidade de Marau. Anos mais tarde, se mudaram para Porto Alegre, onde criaram dez filhos e viram nascer os 14 netos e os seis bisnetos.

Os dois deixam boas lembranças para amigos e familiares, especialmente em relação ao casamento. Ele nunca deixou de presenteá-la com flores a cada dia dos namorados ou aniversário de casamento.

Italvino descobriu estar doente em agosto de 2013. Já Diva soube estar com câncer neste ano. Passou por uma cirurgia em abril e, desde então, suas idas ao hospital passaram a ser frequentes.

“Minha avó estava internada desde abril. Na semana passada, ela pediu pra reunir a família, meio que se despedindo. Ela parou de falar na quarta [1]. Meu avô foi lá ver ela e se emocionou muito. De volta, em casa, ela passou mal de quinta para sexta. Parece que ele estava disposto a desistir”, disse o neto Rafael Max.

Italvino foi levado à emergência com hemorragia estomacal na sexta-feira pela manhã. “Na sexta ele foi hospitalizado. Como já conheciam a história deles no hospital, conseguiram colocá-los no mesmo quarto. As enfermeiras puseram as camas lado a lado e deram as mãos deles”, lembra Max.

À tarde, Italvino piorou. “Meu avô passou mal e tiveram que socorrer ele em outra ala. Então ele morreu. Minha avó estava em coma desde a manhã. Depois que ele morreu, falamos no ouvido dela. Cerca de 40 minutos depois, ela se foi.”

Para a família, as mortes com tão pouco tempo de diferença foi o mais justo para o casal. “Eles iam sofrer muito um sem o outro”, lamenta o neto.

Italvino e Diva estão enterrados juntos no Cemitério Municipal de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre.

por Lucas Azevedo /site uol

Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado