4
janeiro

Namoro descompromissado

Existe uma turma que levanta a bandeira do ”descompromisso” como se isso fosse vantagem, fico reparando como mulheres e homens estão cada vez mais sem descobrir o significado da palavra ”compromisso”, a gíria atual ficou assim, solteiro sim sozinho nunca, a fila anda e etc…

Não acredito que beijar por beijar não signifique nada, sempre deixamos uma marcar na pessoa, hoje em dia temos jovens mulheres(a) com mais traumas que uma de 30 anos, essa história que sou muito nova(a) tenho mais é que curtir a vida mesmo!! só vou namorar quando tiver perto dos 30 anos! Cuidado porque quando chegar essa idade os mesmo que estavam dispostos a ter um romance com você podem dizer ”não” é como a lei da ação e reação. A vida vai cobrar todas as suas curtidas.

O homem contemporâneo não é diferente do homem de outras épocas quando o assunto é relacionamento. Em todas as faixas etárias há o desejo latente do encontro e de se ter uma relação mais profunda. Mas na contramão do coração existe uma pressão social por relacionamentos descompromissados, são sinônimo de solidão a dois e só trazem sofrimento para ambas as partes. Os motivos pelos quais eles ocorrem muito hoje são basicamente três. Veja se sua relação é refém de um destes problemas.

Problema 1 – Pressão social
Qualquer objetivo de natureza individualista é forte o suficiente para adiar um compromisso afetivo. “Há uma pressão de que não vai dar certo tanto sobre as mulheres quanto sobre os homens. O pensamento é: ‘pra que você vai namorar?’, ‘precisa primeiro ganhar dinheiro, se fazer profissionalmente’. Ou então: ‘você é muito nova’.”

Problema 2 – Hoje as mulheres podem tudo
A diferença pesa sobre as mulheres porque acredita-se que elas devem curtir a vida antes de escolher alguém. “Elas são vistas quase como ETs quando começam relacionamentos mais duradouros muito novas. Como se a escolha fosse única e definitiva, o que não é verdade”.

Problema 3 – Fim da dominação masculina
A aceitação do diferente é essencial no namoro, mas isso é bem difícil porque há uma história muito grande de dominação masculina e hoje homens e mulheres ficaram um pouco sem saber a medida em que a própria identidade deve ser colocada no namoro. “As discussões vão gerar sobre uma dúvida cruel: até que ponto devo colocar o meu querer e até que ponto devo ceder. Isso acontece no começo e depois de um tempo, se aprofunda. Requer paciência e sabedoria”.

Texto adaptado encontrado na net (Autor desconhecido)

Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Uma ideia sobre “Namoro descompromissado

  1. Eu penso que essa busca desenfreada pelo “descompromisso” é resultado dessa ditadura da “felicidade” a que muitos estão submetidos. Entendendo felicidade nesse caso não como os orientais a definem, mas sim, como nossa sociedade capitalista a define: “estado de euforia e prazer”, que devemos buscar a qualquer preço, em qualquer lugar, nem que seja as custas de algo que entorpeça e inebrie os sentidos.Daí, a fuga do compromisso, que requer envolvimento, e consequentemente a possibilidade da dor através da perda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado