6
maio

Garoto mata a própria mãe após ser proibido de jogar Call of Dutty

Surto de raiva fez com que jovem tentasse estuprar a mulher antes de disparar 20 tiros.

Um garoto de 14 anos de idade está sendo julgado por assassinar sua própria mãe. O fato ocorreu depois que a vítima o proibiu de jogar o game Call of Dutty.

O jovem em questão é Noah Crooks, o qual teria usado um rifle calibre 22 para realizar a ação. Ele morava com sua família no estado de Iowa, nos EUA, e teria passado por um surto de raiva após ter sido impedido de jogar por três horas o game. A princípio, ele teria tentado estuprar Gretchen Crooks, disparando mais de 20 tiros contra ela.

“Eu não estou brincando. Ela está morta. Estou assustado. Eu matei minha mãe com meu 22. Eu não sei o que fiz”. “Eu me sinto louco e eu não sou. Eu acho que tenho alguma forma de déficit de atenção”, disse Noah durante confissão por telefone à polícia logo após o crime. Ele ainda completou: “Eu tentei estuprar ela, mas não consegui. Quem tenta estuprar a própria mãe? Minha vida está acabada agora”.

De acordo com suas próprias palavras, a mãe o teria proibido de jogar depois de descobrir que suas notas na escola estavam muito ruins. A punição teria gerado um ataque de pânico no garoto. A mãe foi encontrada seminua.

Noah ligou para a polícia para confessar o crime e enviou um SMS para o pai, dizendo que tinha a matado “acidentalmente”. O pai imaginou que seria brincadeira e respondeu pedindo que ela fosse “atirada no mato”.

Noah e a mãe brigavam com certa frequência, segundo o pai. Apesar disso, eles jogavam games juntos algumas vezes. O garoto já havia comentado com o pai que queria matar a mãe, mas não foi levado a sério. A arma havia sido presente da própria mãe, quando ele tinha 11 anos de idade.

Fonte: Daily Mail
Dica de: Felipe Pires Iasbik

Publicado em AUTOCONTROLE, MENTE, MUNDO, NOTÍCIAS por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado