22
janeiro

Garota se recupera de queimaduras após 321 cirurgias

Tilly Sawford caiu em banheira com água fervente quando tinha 5 meses.
Tratamento intensivo incluiu enxerto com cartilagem de tubarão.

Tilly teve 86% do corpo queimado e se recuperou após 321 cirurgias (Foto: Montagem Daily Mail/Reprodução)

Aos 15 meses de idade, a inglesinha Tilly Sawford sofreu queimaduras em 86% de seu corpo após cair acidentalmente em uma banheira com água fervente.

Atualmente, com cinco anos e após 321 cirurgias, a menina, que tinha apenas 5% de chance de sobreviver, está em pleno processo de recuperação e já consegue dar os primeiros passos com a ajuda de um andador.

De acordo com a publicação britânica “Daily Mail”, Ela tinha 15 meses quando sofreu o acidente. Os seis meses seguintes à queda na banheira foram marcados por um tratamento intensivo, em que os médicos chegaram a dizer cinco vezes aos pais, Emma e Kyle Sawford, que provavelmente a garota não conseguiria sobreviver.

No entanto, a criança superou as expectativas após receber um tratamento que incluiu enxertos na pele de cartilagem de tubarão e colágeno de vaca. Curiosamente, seu rosto foi a única região do corpo a não ser afetada.

O acidente ocorreu em março de 2009, após o irmão da garota abrir a torneira de água quente enquanto ela pulava em um pufe perto da banheira. Devido a um defeito na caldeira, a água ficou escaldante depois de alguns segundos, momentos antes de Tilly entrar na banheira.

Emma lembra como se fosse hoje. “Eu estava limpando o andar de cima da casa e a máquina de lavar louças tinha desligado no andar de baixo. Em geral, eu colocava Tilly no berço quando não podia vê-la, mas desta vez ela estava brincando e eu desci por alguns segundos. Ouvi um grito e subi às pressas. Tilly estava na banheira, ela deve ter escorregado e caído”, conta.

“Ela ficou inconsciente com a dor, eu a carreguei, mas sua pele se descolava e grudava em minhas mãos”, continua a mãe da garota. “Eu genuinamente pensei que tinha perdido a minha filha. Pensei várias vezes que teria que planejar um funeral. O fato de ela não ter morrido é um milagre”, acrescentou.

Segundo sua mãe, a criança consegue andar e até subir escadas com um pouco de esforço. Em setembro do ano passado, passou a frequentar a escola, onde adora brincar com seus amigos. “Ela não gosta que eu faça as coisas para ela, a menos que ela realmente precise”, explicou Emma.

Após passar pela 321ª cirurgia, Tilly se recupera em casa, mas quer voltar logo à escola. “Eu me sinto melhor do que antes, e mal posso esperar para voltar para a escola e brincar com meus amigos”, disse ela.

“Eu amo cantar, sempre canto. A escola é muito divertida. Matemática é a matéria que eu mais gosto”, afirmou.

O pediatra cirurgião Ciaran O’Boyle, do Centro Médico de Nottingham’s Queen, afirmou nunca ter visto ferimentos tão graves quanto os de Tilly, mas ressaltou o caráter da garota.

“A personalidade de Tilly nos inspira. Ela foi submetida a uma série de procedimentos, mas isto nunca a abalou. O mais incrível é que ela sobreviveu. Ela é um triunfo. Se não tivesse tido o tratamento correto nas primeiras 24 horas, teria morrido”, afirmou.

A mãe resume. “É uma montanha-russa emocional. Às vezes é bem difícil, mas eu quero que ela tenha o melhor futuro possível.”

Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado