15
dezembro

Equilíbrio Emocional e Auto-Estima: Ingredientes para o Sucesso

A psicologia é uma ciência que estuda a mente e o comportamento humano, e nada tem haver com “loucura”. Este conceito equivocado é alimentado pela falta de conhecimento acerca do real valor desta ciência, que preocupa-se com o bem-estar e a qualidade de vida do ser humano, no sentido mais amplo possível: bio-psico-social. Proporciona auxílio a caminhos que possibilitem a solução ou a melhor forma de convívio com queixas ou anseios do indivíduo.

Todos sabem que cada pessoa encara uma mesma situação, de formas diferentes. Isto acontece devido à história de vida da pessoa, e de como estão sua auto-estima e equilíbrio emocional. Assim, existe uma gama de fatores que podem levar uma pessoa a considerar que tem uma vida muito feliz e satisfatória; uma vida “mais ou menos”, ou ainda, que tem uma vida triste, com pouca ou nenhuma realização, cheia de medos e receios.

Desta forma, é possível perceber que a forma de encarar a vida, além de características de personalidade e a influência do meio em que a pessoa vive, vão mexer com o nível de ansiedade, timidez, ânimo, auto-estima, entre outros, podendo gerar ainda estresse e grande preocupação ou indecisão.

Quem não souber lidar com todo este conteúdo de forma adequada, irá sofrer as conseqüências em um ou mais setores de sua vida – tudo isto pode atrapalhar ou até mesmo derrubar qualquer estudante, profissional, dona de casa ou pessoa aposentada.

Saiba que a baixa auto-estima está presente em todos os transtornos psicológicos. Através da psicoterapia, você pode trabalhar sua auto-estima e auto-conhecimento, ingredientes do sucesso.

Vejamos um exemplo bem objetivo: um edifício, para sustentar todos os andares, necessita de uma base muito bem estruturada. Com uma pessoa também é assim:

para “sustentar-se” na vida necessita de uma base também, e este alicerce é formado pelo auto-conhecimento e  auto-estima. Com uma boa auto-estima e auto-conhecimento, as pessoas podem ter previsibilidade de seu comportamento, e consequentemente o auto controle.

Lembre-se que hoje, mais que do que o “QI”, exige-se Equilíbrio Emocional, pois é através dele que ganhamos habilidade para controlar as próprias emoções, ter autoconhecimento e flexibilidade para resolução de problemas e enfrentamento de situações novas, além de tolerância à frustração.

Por isso, não despreze o seu lado psicológico. A Psicologia pode auxiliar muito no percurso pela vida.

Invista em você! Você só tem a ganhar.

Paula Cristina Biscaro Psicologa

Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado