9
abril

Depressão e o Apoio da Família – O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR

Todos nós ocasionalmente experimentamos sensações de tristeza ou “melancolia”. Essas emoções são parte normal da vida, como, por exemplo, a mágoa que sentimos após a perda de um ente querido. Entretanto, quando as sensações de infelicidade tornam-se constantes e começam a interferir nas funções corporais das pessoas, estamos falando sobre uma doença chamada depressão. Aprender tudo que você pode sobre depressão e seus tratamentos disponíveis é uma das melhores formas de ajudar alguém a quem você muito estima a entrar no caminho da recuperação.

Os transtornos depressivos podem causar imenso sofrimento, não somente à pessoa que está deprimida, mas também àquelas que estão mais próximas dela. Se não for tratada, a depressão pode provocar um grande abalo na vida familiar. Felizmente, a depressão costuma responder bem ao tratamento, e realmente existem tratamentos eficazes.

Os médicos-psiquiatras são os profissionais mais preparados para realizar um diagnóstico adequado e a oferecer os melhores tratamentos para cada caso. A família inteira deve ter uma participação ativa em apoio a parentes com depressão, ajudando-os a obter o máximo do seu programa de tratamento. Lembre-se, o primeiro passo é entender a doença. Converse com o psiquiatra.

Como a família pode ajudar
A depressão é um transtorno que afeta toda a família. As pessoas deprimidas podem despertar sentimentos de frustração, culpa e até mesmo de raiva nos familiares, os quais podem guardar ressentimento ou ter dificuldade de entender os problemas da pessoa deprimida. Estudos mostram que as pessoas deprimidas são mais passíveis de experimentar sentimentos de rejeição ou julgamentos negativos por parte de terceiros do que as não deprimidas, e as reações negativas de outros membros da família podem agravar ainda mais os seus sentimentos de desesperança e baixa auto-estima.
O que a família pode fazer para ajudar?

Sem dúvida, compreensão é a chave. Quanto mais uma família conhecer sobre depressão, mais bem preparados todos estarão para oferecer apoio na hora em que o familiar deprimido mais necessitar. Aprender mais detidamente sobre tratamentos eficazes da depressão também ajudará a incentivar a pessoa deprimida a aderir ao plano de tratamento prescrito. Algumas famílias se beneficiam da participação em terapia familiar para entenderem melhor os complexos aspectos envolvidos na depressão.

A terapia pode ajudar toda a família a aprender sobre estratégias de comunicação mais eficazes e melhores formas de combater a depressão em casa. É muito útil e tranqüilizador poder falar com outras pessoas que entendem exatamente o que você e sua família estão passando.

Formas de apoiar um membro deprimido da família
· Tente manter um relacionamento o mais normal possível
· Reconheça que a pessoa está sofrendo
· Não espere simplesmente que a pessoa “melhore repentinamente”
· Envie esforços para que a pessoa decida se tratar e melhorar
· Demonstre afeição, ofereça palavras reconfortantes e faça elogios
· Mostre que você respeita e valoriza a pessoa
· Ajude a pessoa a manter-se ocupada, um membro ativo da família
· Não critique, atormente ou censure a pessoa por seu comportamento deprimido
· Não diga ou faça qualquer coisa que, em sua opinião, poderia piorar a imagem pouco satisfatória que a pessoa já tem de si mesma.
· Leve a sério qualquer conversa sobre suicídio e notifique o fato imediatamente ao psiquiatra.

E se a pessoa deprimida não quiser ser ajudada?
Geralmente, pedir ajuda é difícil, especialmente em se tratando de pessoas deprimidas que podem sentir-se culpadas e pensar que “já causaram problema o bastante”. Por outro lado, as pessoas deprimidas às vezes se vêem tomadas por uma sensação de desesperança que as fazem parar de procurar ajuda, pensando “porque incomodar, nada fará nenhuma diferença”. Eles podem não ter idéia de que a depressão responde bem ao tratamento e que logo a pessoa deprimida deverá sentir-se muito melhor.

Tranqüilize as pessoas dizendo que ter depressão não é um sinal de “fraqueza”. Saliente que a depressão é uma doença que requer tratamento, como a pneumonia ou a artrite, e que procurar um tratamento para uma doença não é motivo para se envergonhar. Se você acha que um parente deprimido está pensando em suicídio, não hesite falar para o psiquiatra o mais breve possível. Procure saber o que ela pensa sobre o suicídio.

Tratamentos

Atualmente existem várias opções de tratamento eficazes para depressão. Escolher um programa de tratamento correto é um processo individual que depende não só da severidade da depressão, mas da preferência da pessoa deprimida e opinião do psiquiatra. Algumas vezes, uma combinação de tratamentos produz maior benefício. Em qualquer caso, o psiquiatra é a pessoa certa a ser consultada para uma revisão de todas as opções disponíveis e uma decisão sobre o que é mais adequado para o familiar deprimido.

Psicoterapia é muito útil para algumas pessoas deprimidas. De fato, para alguém que sofre de depressão branda, o aconselhamento pode ser o único tratamento necessário. Durante a psicoterapia, o terapeuta e os pacientes discutem as experiências, relacionamentos, eventos e sentimentos que são importantes ao paciente, num esforço para esclarecer as áreas de dificuldade na vida da pessoa deprimida.

A participação de toda a família na psicoterapia é útil. Você poderá discutir essa opção com seu psiquiatra. Alguns dos tipos mais comuns de terapia têm demonstrado ser úteis, como psicoterapias de apoio, cognitiva, comportamental, e interpessoal.
Medicações antidepressivas são úteis na correção dos desequilíbrios químicos que podem causar depressão maior. Hoje existem várias e diferentes opções para a escolha de antidepressivos. De um modo geral, acredita-se que as medicações antidepressivas atuem através de um mecanismo que aumenta a oferta de neurotransmissores no cérebro para restaurar o balanço químico. Você precisará conversar com o seu psiquiatra para determinar que antidepressivo é o mais adequado para o seu caso. Se você achar que os efeitos colaterais da medicação estão incomodando, diga isso ao seu psiquiatra. Ele poderá querer ajustar a dose ou prescrever uma diferente medicação.

A luz no fim do túnel
Você pode achar que lidar com depressão é uma das situações mais desafiantes que a sua família já enfrentou. Entretanto, um período como esse também representa uma excelente oportunidade para todos os familiares chegarem a uma melhor compreensão das suas próprias forças e fraquezas e também as de cada um dos membros, e de todos os fatores que favorecem a integração das pessoas como um todo. Quando uma família se une para ajudar um dos membros a atravessar os tempos difíceis, o resultado pode ser uma sensação maior de força para toda a unidade familiar. Lembre-se, o todo é freqüentemente maior do que a soma de suas partes. Trabalhando junto com outros membros da família e seu psiquiatra, você pode descobrir uma solução tranqüila e equilibrada.

Dr. Tarcio

Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado