5
setembro

Controle da Raiva

Você já deve ter passado por situações de morrer de raiva . Tem dias que parece que tudo dá errado, o transito infernal, teu chefe nem deu bola para o trabalho que te custou um dia inteiro, o supermercado não tinha troco e te deu uma balinha. 

Não dá para segurar. Uma coisa destrutiva vai se formando dentro de você e, você acaba descontando todas as suas frustrações cima do marido, esposa, mãe, enfim, em cima de quem não tem nada a ver com a origem do problema.

Temos que perceber que a raiva por si só não é uma coisa ruim, a raiva é um mecanismo de defesa e foi fundamental pra a sobrevivência das espécies. Um dos mecanismos de auto defesa é a raiva, pois ela de mobiliza contra o ataque alheio.
Tem horas que dá mesmo vontade de gritar e até de agredir uns e outros. O problema surge justamente esse quando essa revolta te faz perder o controle e agir desproporcionalmente.
Raiva está relacionada à frustração e aparece em 2 tipos de situações:
- Quando você não consegue realizar uma coisa que queria muito – você se sente frustrado .
- Quando você se sente desprezado, diminuído e desvalorizado.
Tem gente que é craque em fazer os outros se sentirem diminuídos, e conseqüentemente morrendo de raiva, por exemplo, o freguês que coloca a loja abaixo, fala mal de todos os produtos e não compra nada, ou o chefe que parece que faz de conta que você não existe, ou as pessoas de casa que não reconhecem o trabalhão que você teve. Tudo isso mata qualquer um de raiva.
Existem duas formas muito negativas de lidar com essa raiva:
- Explodir e perder o controle. Quem perdeu o controle perde a razão, mesmo que a razão esteja toda com ele na hora da explosão ela vai para o “ralo”.
- Abaixar a cabeça. Engolir sapo não é saudável. Normalmente a pessoa que engole é aquela que traz dentro de si uma educação onde deve sempre atender às expectativas dos outros. Quando você tem a crença que as necessidades dos outros são mais importantes que as suas você desenvolve um ego fraco, se torna uma pessoa incapaz de responder e de se impor quando precisa. Saber dizer “Não” é saber cuidar de si mesmo, é enfrentar o problema. Se não conseguir você ficará vítima e refém da raiva.
Não ter raiva nenhuma é tão perigoso quanto explodir de raiva. Mas é preciso aprender a externar os sentimentos na hora certa, do jeito certo, na medida certa e com a pessoa certa.
Raiva não expressa da forma correta pode desencadear depressão ou grandes desastres no trabalho, no grupo social ou escolar.
Uma das piores coisas a fazer é disfarçar a raiva . Tem gente que diz “Eu me controlo” quando na realidade ele disfarçou, engoliu. Isso é péssimo. Controlar a raiva é aprender a lidar com ela.
Raiva está diretamente ligada ao stress pois passar raiva dia após dia vai te debilitado e você nem percebe o porque.
Identifique o estresse causando por raiva “engolida”
- Irritação
- Sono perturbado – dormindo demais ou de menos
- Perdeu a capacidade de sentir prazer com a vida
- Está comendo demais ou de menos
- Está tendo problemas de relacionamentos
Se você respondeu “sim” para a maioria destas cinco pontos você está estressado.
Para aprender a lidar com a raiva, sem reprimir, sem explodir e se prejudicar ainda mais deve-se ir a fundo e descobrir quais são as crenças que estão por trás dessa raiva.
A psicoterapia te dá meios de se desapegar do passado que causa raiva, ultrapassar a barreira da neurose e se livrar do fardo de ser uma eterna vitima.
Precisamos nos reconciliar com as coisas que nos fizeram sentir frustrados ou desvalorizados para começar a superar estas situações e ter a coisa que mais interessa: o controle sobre sua própria vida! Mas entenda que reconciliação não significa esquecer ou fazer de conta que “não foi nada”. Significa continuar a viver de forma leve sem apegos emocionais e comportamentos desgastantes.
A psicoterapia oferece alguns caminhos como a flexibilização de pensamento que lhe dará opções para reagir de formas adequadas, a mudança dos padrões de pensamentos para que as pequenas coisas do dia a dia sejam vistas apenas como são: pequenas coisas do dia a dia. Você não fará mais um “cavalo de batalha” quando furarem a fila, mas saberá agir com elegância e obter o respeito que merece. 
 
Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado