15
setembro

Ciúmes

O que é Ciúmes?
É um demoniozinho que fica escondido dentro de nossas mentes dizendo que estamos sendo traídos, que não somos tão importantes como gostaríamos de ser.
Ciúmes é sinal de amor ou de desrespeito?
A resposta é simples: Depende.
Na realidade ciúmes é como tudo na vida, se tiver pouco faz falta, se tiver demais “transborda”.
Um pouquinho de ciúmes significa que você valoriza a outra pessoa, que ela é importante em sua vida.
Sabemos que o ciúme passou do limite quando começa a provocar prejuízos na sua vida ou na vida das outras pessoas. Não falo só de prejuízo financeiro, falo das perdas, do sofrimento desproporcional por causa dos ciúmes.
Ciúmes patológico é sempre desrespeitoso. Você percebe que entrou no nível de ciúmes patológico quando, por exemplo, perde tempo em seu trabalho querendo saber por onde anda e o que sua cara metade está fazendo.
Ligar para monitorar os passos dele, tal qual um detetive. Perder o sono por ciúmes, acordar no meio da noite pensando “o que será que ele (ela) está fazendo?”. Ficar nervoso (a) quando não localizou seu marido/namorado etc. tudo isso é ciúme patológico.
O ciúme é patológico, ou seja, doentio, quando a sua rotina é modificada por conta desse ciúme. Quando não há provas concretas para tal desconfiança, não há indícios de que você pode estar sendo traído e ainda assim você sofre com a possibilidade de ser traído é o indicio de que você será beneficiado com a ajuda de um psicólogo.
Ciúmes é medo de traição?
Sim, mesmo que a pessoa tenha ciúmes de que o namorado vá à casa da mãe dele. Claro que ela não acha que ele vai ter um caso com a mãe, mas nos ciúmes patológico ela pensa que ele vai dividir o amor, que “deveria” receber com exclusividade. Há um erro de julgamento neste ciúme, pois o amor que este rapaz dispensa à mãe é absolutamente diferente do amor que dedica à namorada. Os dois tipos de amor coexistem, mas o ciumento patológico não consegue enxergar.
O mais interessante dessa história é que o ciúmes existe independente do fato de você realmente estar sendo traído.
Ciúme patológico é quando você sofre com a idéia de estar sendo traído sem ter provas ou indícios dessa traição. Isso significa que alguém pode estar sendo traído de fato, e ainda ter ciúmes patológico se ele não tiver indícios ou provas dessa traição. É irônico.
Existe ciúme normal?
O ciúme é dividido em normal e patológico. O normal é transitório, a pessoa tem uma sensação de ciúmes hoje, mas não fica com a idéia fixa a semana toda. O ciúme normal passa. O ciúme normal é específico, ou seja, a pessoa sente ciúmes de uma situação específica, e não de toda e qualquer situação.
Exemplo: sentir ciúmes de uma pessoa, ou de um lugar onde o outro vá, e não de todo e qualquer lugar.
O ciúmes normal é baseado em fatos reais. Ou seja, a pessoa tem ciúmes quando acontece alguma coisa concreta, como um telefonema, ou um presente que o outro tenha recebido, algum indicio real de que algo possa estar “roubando” a pessoa amada.
No ciúmes normal o maior desejo é de preservar o relacionamento. A pessoa quer ficar bem com o outro.
Por outro lado o ciúmes patológico é quando as preocupações são infundadas, são absurdas, exemplo: você liga para o seu companheiro e ele não atendeu o telefone. Pronto! Já será o suficiente para passar a tarde se “mordendo” de ciumes. Esta é a típica cena que demonstra a necessidade da ajuda de um psicólogo .
O ciumento deseja ser traído?
No ciúmes patológico pode ter um desejo inconsciente de que haja mesmo a ameaça de um rival. De alguma forma a idéia dessa ameaça pode ser estimulante para o ciumento. O ciumento é um poço de emoções, ele se sente ansioso, às vezes depressivo, com raiva, vergonha, insegurança,humilhação, perplexidade, culpa, desejo de vingança, e é muito comum também o aumento do desejo sexual, por incrível que pareça.
O ciumento é um vulcão emocional, ele vive o amor de uma forma distorcida, que algumas vezes vira um sentimento doentio. O ciumento patológico é muito sensível, vulnerável, muito desconfiado, tem a auto-estima lá embaixo. E seu mecanismo de defesa é se comportar impulsivamente, quando vê já fez, já falou. Acaba sendo egoísta e até agressivo – ou seja, há um trasntorno psicológico .
Como posso saber se sou exagerado em meu ciúmes?
Veja se você tem necessidade de ter controle total sobre os sentimentos e comportamentos do companheiro (a). Sofre com isso? Acaba tendo comportamentos de risco. Se você respondeu sim para uma dessas perguntas é provável que você seja um ciumento patológico. Ter ciúmes de uma forma equilibrada é normal. Mas 10% da população percebe que tem problema no relacionamento e sofre demais por causa de ciúmes exagerado.
Enfim, se você está dizendo coisas do tipo: “Você fez a barba hoje porque vai encontrar com outra” ou “Você chegou atrasada porque estava com o outro”.
Esse tipo de frase é um belo indicador do quanto o ciúmes está patológico, fora de controle e causando sofrimento.
O que provoca ciúmes?
O seu pensamento, a sua interpretação de que o relacionamento está ameaçado quanto à estabilidade ou quanto à qualidade. Ou seja, ciúmes aparece quando você acredita que seu relacionamento foi abalado e corre risco de terminar.
Percebeu? Ciúmes é como você “interpreta” a situação, não necessariamente se refere à fatos concretos. Percebemos que o ciúmes está exagerado quando a pessoa começa com comportamentos, digamos assim, ridículos.
A pessoa passa a ter comportamentos compulsivos, ou seja, ela não consegue se segurar, parece que é mais forte do que ela e passa a abrir correspondência do outro, ouvir telefonemas, olhar os bolsos, carteira, confere recibos.
Já atendi casos onde a pessoa olhava todo extrato do banco e perguntava o que era cada mínimo cheque descontado e até depósitos pequenos. O comportamento fica ridículo, pra quem está de fora, isso parece um absurdo, mas para o ciumento não tem nada mais importante do que conferir cada item da vida do outro.
Detetives particulares são sustentados a custa desse sentimento tão devastador.
Teve caso de paciente que fazia uma marca com caneta no pênis do marido para ver se no fim do dia a marca ainda estava lá. Já teve o absurdo de namorada olhar as fezes do namorado procurando resto de bilhete engolido.
O que tranqüiliza ciumento?
Nada! Tem ciumento patológico pra quem nada resolve suas dúvidas, nada ameniza suas suspeitas, se ele não pegou nada de errado acha que é porque não procurou direito. Quanto mais  investiga mais dúvidas tem, nada traz paz.
Mesmo quando o outro conta tudo que faz durante o dia. Você acha que isso resolve? Não, porque o ciumento quer saber detalhes. Sofre ouvindo os detalhes, mas ele quer saber. O que fez? Quando? Onde foi?
Mesmo quando não há motivos para ciúmes o parceiro do ciumento também sofre. Muitas vezes ele tenta acalmar o ciumento. Leva flores. Omite quando se encontra com uma amiga porque sua esposa pode achar que foi um encontro romântico, aí a situação piora! Porque para o ciumento “Se teve uma mentirinha é porque há uma grande mentira por trás”. Às vezes não.
O caminho para solução nunca deverá ser o de “dar provas” para que este ciumento perceba que nada está acontecendo, porque não há provas suficientes no mundo. O caminho deverá ser o de reestruturar esta pessoa, pelo processo terapêutico, e eliminarmos as fontes de insegurança internas. Devemos ir à origem do problema, que talvez possa estar em situações de seu passado onde percebeu que não poderia confiar nas pessoas, ou que não lhe dariam o amor que tanto desejava. Para ler mais sobre isso, procure no campo de busca deste site o termo Terapia do esquema.
Comportamento de agressão por parte do ciumento
Muitas vezes o ciumento patológico ataca fisicamente. Agride, bate , espanca. Nem sempre o agredido dá queixa, por isso as estatísticas não são representações da realidade. Em casos de ciúmes patológicos é sempre interessante investigar a pessoa como um todo, ver outros problemas psicológicos, é comum que o ciúme seja um dos sintomas de um quadro mais complexo. Esse quadro pode ser desde um transtorno de alcoolismo, depressão, e em casos extremos esquizofrenia.
Não estou dizendo que todo ciumento é esquizofrênico, nem que todo esquizofrênico é ciumento. Mas deve ser investigada essa possibilidade sim. Porque na esquizofrenia ocorrem as alucinações e delirios, que quem sente não sabe que é alucinação, para ele é real.
Terapia ajuda?
Ciúmes Patológico pode ser trabalhado em terapia juntamente com o psicólogo? Pode e deve! É preciso buscar um atendimento psicoterapêutico porque o sofrimento é muito grande. Isso pode ser amenizado. Como? Analisando a racionalidade desse ciúme. Analisando o quanto isso está limitando a tranqüilidade mental da pessoa, e o que está provocando na vida dela. Quanto de sofrimento psicológico inútil ela está passando. Tem que se buscar o diagnóstico correto. Ciúmes patológico é apenas um sintoma que deve ser avaliado para se saber se está conectado à um quadro mais complexo, pode estar ligado à um transtorno obsessivo compulsivo, pode estar ligado à um quadro delirante, tem que ser avaliado.
Com a terapia você tem a oportunidade de entender o porque dessa insegurança, qual seu histórico de vida que lhe fragilizou tanto assim e te “deu de presente” esse sintoma tão arrasador que é o ciúme.
Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado