24
janeiro

Britânica se separa do marido para poder ficar com seus 40 gatos

A britânica Marlene Howes, gasta cerca de R$ 2,2 mil (700 libras) com seus 40 gatos! O grande amor de Marlene por seus gatos teve uma triste consequência. O marido dela pediu o divórcio por não aguentar mais dividir a casa e a amada com os bichos! Reprodução/Daily Mail

O fim do casamento de Marlene aconteceu de maneira chocante. Em um determinado dia, o marido dela chegou em casa e disse que ela deveria escolher entre os gatos e ele

A escolha de Marlene está ilustrada na foto abaixo. A aposentada não iria abandonar seus felinos!

Marlene e sua falecida mãe sempre colocavam os gatos em concursos de beleza. Os felinos da aposentada são grandes vencedores e receberam vários prêmios ao longo dos anos.

Marlene, que mora em Whitecroft, na Inglaterra, treina e cuida de gatos há 50 anos! Ela contou ao jornal The Daily Mail que os gatos são os donos de sua casa e que faz tudo por eles.

Marlene admite que é praticamente uma escrava dos gatos, mas se diz feliz com a vida que leva. Marlene gosta de dar uma vida de luxo aos gatos e até mesmo a herança que recebeu de sua mãe vai exclusivamente para os felinos. Ela diz que a mãe a fez concordar em usar o dinheiro com os gatos. Marlene sabe os nomes dos 40 gatos e diz amá-los igualmente.

‘Colecionar’ animais pode ser sintoma de patologia psíquica
Conhecido como hoarding, o hábito pode esconder problemas mentais

Pessoas que têm o hábito de colecionar uma quantidade grande de animais podem esconder problemas psicológicos. De acordo com um estudo do Centro de Transtornos da Ansiedade, do Hospital de Hartford, dos Estados Unidos, isso pode ser um sintoma de transtorno obsessivo compulsivo.

Conhecido como TOC, a doença se manifesta sob a forma de alterações do comportamento, dos pensamentos e das emoções. As pessoas que sofrem do mal costumam repetir rituais e têm obsessões como dúvidas, preocupações excessivas chegando até a depressão.

Acumular animais em excesso pode ser um dos sintomas do TOC, diz o estudo. A pesquisa constatou que na maioria das vezes a doença é diagnosticada nos casos de pessoas que acumulam um grande número de animais sem lhes dar o cuidado necessário como comida e manter a sua higiene em dia. A maioria das pessoas que acumulava animais e sofria de TOC eram 76% mulheres na faixa dos 60 anos ou mais.

As maiores vítimas são os cães e gatos. Os cientistas constataram que as pessoas não resistem e acabam aceitando novos animais mesmo não tendo mais como cuidar deles. Para combater o TOC o tratamento é feito a base de medicamentos e com o uso de técnicas psicoterápicas chamadas de cognitivas e comportamentais.

Por Carolina Abranches

Publicado em ANIMAIS, AUTOCONTROLE, MENTE, NOTÍCIAS por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado