7
julho

A difícil arte de perdoar!

Imagino que nem a pior prisão do mundo seja tão difícil de suportar quanto àquela que nos aprisiona por dentro, que nos impede de pensar com liberdade e de transformar nossos sonhos em realidade.

E quando é que nos aprisionamos internamente? Entre tantas coisas, destaco aqui a falta de perdão… Esta “doença” psíquica que, além de nos manter acorrentados a um sentimento que não nos acrescenta nada, muitas vezes acaba por se transformar em doenças físicas, além de destruir relacionamentos existentes há anos.
Sabemos de tantas amizades, companheirismos de trabalho e até mesmo relacionamentos familiares, que terminam porque as pessoas não conseguem tolerar e superar defeitos uns dos outros, gerando assim críticas e discussões e, por consequência a ausência do perdão.
Pessoas de “coração duro” podem gerar em suas mentes janelas killers e muitas vezes apresentar sintomas como dores no peito, insônia, dores musculares, humor deprimido, estresse, perda de apetite, entre outros. As pessoas que descobrem a arte do perdão,reduzem o nível de estresse, vivem mais confiantes e si mesmas, conseguindo atingir a calma e a paz de espírito.

Jesus ao ser interpelado por um de seus discípulos sobre quantas vezes deveríamos perdoar uma mesma pessoa, nos deixou um grande desafio: “Não te digo perdoar até sete vezes; mas, até setenta vezes sete”.

Tarefa esta dificílima, porém, não impossível. Todos somos capazes de conseguir tal proeza! Precisamos nos tornar protagonistas da nossa história e gerenciadores de nossos pensamentos. Devemos compreender as pessoas que nos ofenderam e nos magoaram, e saber que por trás de uma pessoa que nos fere, há sempre uma pessoa ferida, só assim conseguiremos lhes perdoar. Se a perdoamos, morre dentro de nós o “monstro” em que transformamos esta pessoa, e esta renasce não mais como inimiga, mas como um ser humano que possui limitações iguais as nossas. Você tem alguém a quem precisa perdoar? E por que não o faz? Você deve um pedido de perdão para alguma pessoa? Faça isso então, você não irá se humilhar mas se tornará humilde e aliviará seu coração!
Publicado em ARTIGOS, AUTOCONTROLE por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado