29
maio

No amor sempre existe algo de loucura e na loucura sempre existe algo de razão

JÁ QUE NOS REFERIMOS ao amor louco, deixaremos este capítulo aos cuidados de um homem que amou a vida, o humor e o amor com total irreverência e genialidade. Com vocês, Julius Henry Marx, ou Groucho, para os íntimos.
O problema do amor é que muitos o confundem com a gastrite e, quando se curam da indisposição, percebem que estão casados.
O amor é uma insanidade temporária que só o casamento cura. As noivas modernas preferem fi car com o buquê e jogar fora o marido.
O homem não controla o próprio destino. É a mulher de sua vida que faz isso por ele.
Extraído do livro Nietzsche para estressados.

Publicado em ARTIGOS por Rodrigo Oller. Marque Link Permanente.


Comentários via Facebook

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado